Quem me Roubou de Mim? – Fábio Melo

Por meio de reflexões filosóficas, textos poéticos e histórias reais, o autor toca nosso entendimento e nossas emoções, convidando-nos a um mergulho em nossa subjetividade, afim de nos fazer conhecer a nós mesmos.

quem me roubou de mimQuem me roubou de mim? - O seqüestro da subjetividade e o desafio de ser pessoa.

A obra do autor Padre Fábio de Melo aborda, com grande profundidade, questões sobre relacionamentos e cita características do íntimo e da personalidade de um ser humano. O Padre consegue explicar a cada capítulo, como viver e conviver com as pessoas que passam pelo nosso caminho, sem que elas nos aprisionem.

Os primeiros capítulos do livro falam de um tipo de seqüestro existente no mundo particular do homem e o padre, no decorrer da narrativa, cita exemplos de como lidar com os limites da intimidade de cada pessoa e como isso pode refletir nas suas atitudes. O escritor explica também, o motivo pelo qual a maioria das pessoas escolhe ficar na condição de vítima em determinadas situações de suas vidas e como elas devem usar a solidão, a legitimidade da sua identidade e o medo ao seu favor.

Durante a história, fatos habituais da vida comum são citados em exemplos simples. O padre ajuda o leitor a entender sobre a necessidade do uso benéfico da liberdade, do cuidado que se deve ter ao se aproximar de pessoas com personalidades influenciáveis, da superação das idealizações de cada um, do mistério que envolve o mito do amor e o olhar de Jesus em cima de todas as coisas.

TRECHO DO LIVRO: “Amar é exercício de descobrir o que o outro tem de mais lindo, mas também de mais vergonhoso. Amores perfeitos só existem nas projeções. Ou nos jardins...”.

O final da narrativa traz alguns questionamentos essenciais para o entendimento do desafio de ser pessoa.

- Quem foram as pessoas que mais favoreceram seu crescimento afetivo, proporcionando-lhe uma relação em que pudesse entrar em contato com seus defeitos, qualidades e, conseqüentemente, lhe ajudaram no processo de tornar-se pessoa?

- Onde é que você pode identificar, nas páginas de sua história, os acontecimentos em que sua liberdade foi promovida por alguém?

- O contrário também precisa ser perguntado: quais foram as pessoas que mais deixaram marcas negativas dentro de você?

Essas são algumas das perguntas contidas no livro que ajudarão o leitor a compreender que o grande valor da sua identidade interior precisa ser preservado e que isso deve se tornar a análise mais importante de sua vida.

Origem: paroquiadecanela

Veja também: Entrevista com Padre Fábio de Melo

Um comentário:

okada disse...

Estou relendo o livro e a cada releitura me vejo em algumas passagens. Isto me faz refletir e modificar a minha atitude perante a pessoas e à vida. Deixar o vitimismo, as culpas, e ter responsabilidade de si próprio.
Só senti falta de uma referência bibliográfica de um livro tão rico de conceitos, idéias.

Sites interessantes