Biografia de Paul Krugman

Considerado o mais brilhante economista de esquerda, detentor do prêmio Nobel de Economia de 2008.

Paul KrugmanPaul Robin Krugman (Nova Iorque, 28 de fevereiro de 1953) é um economista norte-americano. Autor de diversos livros, também é desde 2000 colunista do The New York Times.

Atualmente é professor de Economia e Assuntos Internacionais na Universidade Princeton. Em 2008, recebeu o Nobel de Economia por um trabalho anterior à atuação como colunista do The New York Times, que tratava da dinâmica da escala - quantidade de produção - na troca de bens entre os países.

Foi um crítico da Nova Economia, termo cunhado no final da década de 1990 para descrever a passagem de uma economia de base principalmente industrial para uma economia baseada no conhecimento e nos serviços, resultante do progresso tecnológico e da globalização econômica.

Krugman tem sido também um notório crítico da administração George W. Bush e sua política interna e externa - críticas que ele apresenta em sua coluna do The New York Times. É geralmente considerado um keynesiano.

Ao contrário de muitos "gurus" da economia, Krugman também é considerado por seus pares como um importante colaborador em estudos. Krugman escreveu mais de 200 artigos[1] e vinte livros — alguns deles acadêmicos e alguns escritos para o público leigo. Seu livro International Economics: Theory and Policy é um livro-texto básico para o estudo da economia internacional.

Em 1991 recebeu a medalha John Bates Clark, concedida pela American Economic Association.

Biografia

Krugman nasceu e foi criado no seio de uma família judaica. Estudou economia na Universidade Yale, apesar de seu primeiro interesse ser a história. Ph.D. em 1977, pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), Krugman lecionou em Yale, no próprio MIT e na Universidade Stanford antes de ingressar em Princeton, em 2000.

É casado com Robin Wells, sua segunda mulher, que também é professora em Princeton. Não têm filhos.[2][3]

Paul Krugman diz que o seu interesse na Economia começou com as novelas Foundation (Fundação) de Isaac Asimov, nas quais os cientistas sociais do futuro usam "a psico-história" para tentarem salvar a civilização. Uma vez que a psico-história não existe actualmente, Krugman virou-se para a Economia, que ele considerava a melhor alternativa.[4]

Entre 1982 e 1983, durante a administração Ronald Reagan, trabalhou na Casa Branca, como membro do Conselho de Economistas. Também é membro de um corpo econômico internacional, o grupo dos trinta.

Referências

1. ↑ http://www.nytimes.com/ref/opinion/KRUGMAN-BIO.html
2. ↑ Paul Krugman, "Your questions answered", blog, 10-1-2003, acesso 19-12-2007
3. ↑ Paul Krugman, "About my son", New York Times blog, December 19, 2007
4. ↑ Entrevista, Economista americano Krugman ganha o Prémio Nobel da Economia "PBS, Jim Lehrer News Hour", 13 de Outubro de 2008, trascrição em 14 de Outubro de 2008 (em inglês)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Nenhum comentário:

Sites interessantes