Biografia de Barack Obama

Considerado um fenômeno ainda não visto na política americana desde John F. Kennedy.

Barack ObamaBarack Hussein Obama II (Honolulu, 4 de agosto de 1961) é um advogado e político dos Estados Unidos, o quadragésimo quarto e atual presidente do país, desde 20 de janeiro de 2009, e o Nobel da Paz de 2009. Sua candidatura foi formalizada pela Convenção do Partido Democrata em 28 de agosto de 2008.

Até então, era senador pelo estado de Illinois. Obama foi o primeiro negro (afro-americano no contexto estadunidense) a ser eleito presidente estadunidense,.[2][3] Foi também o único senador afro-americano na legislatura anterior. Barack Obama também é canhoto, assim como alguns presidentes dos Estados Unidos como: Gerald Ford, Ronald Reagan, George H. W. Bush e Bill Clinton.[4]

Graduou-se em Ciências Políticas pela Universidade Columbia em Nova Iorque, para depois cursar Direito na Universidade de Harvard, graduando-se em 1991. Foi o primeiro afro-americano a ser presidente da Harvard Law Review.

Obama atuou como líder comunitário e como advogado na defesa de direitos civis até que, em 1996, foi eleito ao Senado de Illinois (Órgão integrante da Assembléia Geral de Illinois, que constitui o poder legislativo local), mandato para o qual foi reeleito em 2000. Entre 1992 e 2004, ensinou direito constitucional na escola de direito da Universidade de Chicago.

Tendo tentado, em 2000, eleger-se, sem sucesso, ao Congresso dos Estados Unidos, anunciou, em janeiro de 2003, sua candidatura ao Senado dos Estados Unidos. Após vitória na eleições primárias, foi escolhido como orador de honra para a Convenção Nacional do Partido Democrata em julho de 2004. Em novembro, foi eleito Senador dos Estados Unidos pelo estado de Illinois com 70% dos votos. Em 4 de janeiro de 2005 assumiu o atual mandato, o qual tem duração até 2011.

Como membro da minoria democrata no período entre 2005 e 2007, ajudou a criar leis para controlar o uso de armas de fogo e para promover maior controle público sobre o uso de recursos federais. Neste período, fez viagens oficiais para o leste europeu, o oriente médio e África. Na atual legislatura, contribuiu para a adoção de leis que tratam de fraude eleitoral, da atuação de lobistas, mudança climática, terrorismo nuclear e assistência para militares americanos após o período de serviço. Recebeu o prêmio Nobel da Paz em 2009.[5]

Biografia

Barack Hussein Obama II[6] nasceu em 4 de agosto de 1961 em Honolulu, no estado americano do Havaí, filho de Barack Obama, Sr., um economista queniano, nascido em Nyang’oma Kogelo, distrito de Siaya, Quénia e de Ann Dunham, antropóloga americana, branca, nascida em Wichita, no estado do Kansas, Estados Unidos. Seus pais conheceram-se enquanto frequentavam a Universidade do Havaí em Manoa, onde seu pai era um estudante estrangeiro.[7]

Eles separam-se quando Obama tinha dois anos de idade, divorciando-se em seguida.[8] Seu pai retornou ao Quênia, encontrando-se com o filho apenas mais uma vez antes de falecer em um acidente de automóvel em 1982, quando seu filho Obama tinha vinte e um anos.[9]

Após o seu divórcio, Ann Duham casou-se com o indonésio Lolo Soetoro. A família mudou-se para o país natal de Soetoro em 1967, tendo Obama frequentado escolas em Jakarta até os dez anos de idade. Ele então retornou para Honolulu para morar com seus avós maternos. Em Honolulu, frequentou a escola Punahou, desde a quinta série do ensino elementar americano, em 1971, até a graduação no ensino secundário, em 1979, com 18 anos.[10]

A mãe de Obama retornou ao Havaí em 1972, quando o filho tinha 11 anos, lá permanencendo por muitos anos. Voltou à Indonésia por alguns períodos para o desenvolvimento de trabalho de campo. Ela defendeu tese de doutoramento em antropologia pela Universidade do Havaí em 1992. Faleceu de câncer nos ovários em 1995, quando Obama tinha 34 anos.[11]

Já adulto, Obama admitiu ter usado cocaína, maconha e álcool durante o ensino médio, tendo classificado, em evento na atual campanha eleitoral como seu maior erro do ponto de vista moral.[12]

Após concluir o ensino secundário, com 18 anos, Barack Obama mudou-se para Los Angeles, onde estudou no Occidental College por dois anos.[13] Em 1981, com 20 anos, transferiu-se para a Universidade de Columbia, em Nova Iorque, onde graduou-se 2 anos depois em ciência política, com especialização em relações internacionais.[14] Seu pai faleceu neste período. Obama obteve o título de bacharel de artes em 1983, com 22 anos, quando foi trabalhar por um ano na empresa Business International Corporation, hoje parte do grupo que publica a revista The Economist[15] e em seguida para a organização sem fins lucrativos New York Public Interest Research Group.[16][17]

Após quatro anos na cidade de Nova Iorque, Obama mudou-se para Chicago com 24 anos, para trabalhar como agente comunitário entre junho de 1985 a maio de 1988 como diretor da Developing Communities Project (DCP), uma associação comunitária religiosa originalmente composta por oito paróquias católicas, na região da grande Roseland (Roseland, West Pullman, e Riverdale) ao sul de Chicago.[16][18] Nos seus três anos como diretor da DCP, sua equipe passou de 1 para 13 pessoas e seu orçamento anual cresceu de 70 mil dólares para 400 mil dólares, tendo conseguido, entre outros resultados, auxiliar :
  • a criação de um programa de educação para o trabalho,
  • a criação de um programa de mentoria para a preparação para o estudo universitário, e
  • o estabelecimento de uma organização de defesa dos direitos de inquilinos na região de Altgeld Gardens, em Chicago.[19]
Obama também trabalhou como um consultor e instrutor para a fundação Gamaliel, um instituto que dá consultoria e treinamento para associações comunitárias.[20] Em meados de 1988, com 27 anos, ele viajou pela primeira vez para a Europa, onde permaneceu por três semanas, indo em seguida ao Quênia, onde permaneceu por cinco semanas, lá encontrando-se pela primeira vez com alguns de seus parentes.[21]

Obama ingressou na escola de direito de Harvard no final do mesmo ano de 1988. Ao final do seu primeiro ano na escola, foi escolhido como editor da revista Harvard Law Review, em função das suas notas e de uma competição de redação.[22] Em seu segundo ano na escola, foi escolhido presidente da revista, uma posição voluntária de tempo-integral, assumindo as responsabilidades de editor-chefe e supervisionando a equipe de 80 editores.[23] A eleição de Obama como primeiro presidente afro-americano da revista teve ampla cobertura jornalística, sendo objeto de longas reportagem sobre ele.[23] Ele obteve o título de doutor em direito por Harvard em 1991, com 30 anos, graduando-se com louvor. Retornou então para Chicago onde já havia trabalhado, inclusive nos períodos de férias de verão de 1989 e 1990, para os escritórios de direito Sidley & Austin e Hopkins & Sutter, respectivamente.[22][24]

Em 1992, casa-se com Michelle Obama.

A publicidade associada à sua eleição como primeiro afro-americano presidente da Harvard Law Review resultou em um contrato e adiantamento para que ele escrevesse um livro sobre questões relacionadas à raça.[25] Em um esforço para contratar Obama para o seu corpo docente, a escola de direito da Universidade de Chicago ofereceu a ele uma posição em pesquisa e um escritório onde poderia trabalhar no seu livro.[25] Ele planejara terminar o livro em um ano, no entanto a tarefa consumiu muito mais tempo à medida que evoluiu para um livro de memórias. A fim de trabalhar sem interrupções, Obama e sua esposa, viajaram para Bali, onde passou meses escrevendo. O manuscrito foi finalmente publicado como Dreams from My Father em meados de 1995, quando Obama estava com 34 anos.[25]

Obama dirigiu a iniciativa Project Vote em Illinois entre abril e outubro de 1992. O projeto, voltado para o registro de eleitores, contava com 10 funcionários e 700 voluntários. Ele atingiu seu objetivo de registrar 150 mil dos 400 mil afro-americanos não registrados do Estado, motivando a revista Crain's Chicago Business a incluir, em 1993, Obama na sua lista de líderes promissores com menos de 40 anos.[26][27]

Obama ensinou direito constitucional na escola de direito da Universidade de Chicago por doze anos.[28]

Em 1993, Obama juntou-se à firma Davis, Miner, Barnhill & Galland, um escritório de direito composto por 12 advogados especializado em casos de direitos individuais e desenvolvimento econômico de vizinhanças, atuando como advogado associado por três anos, entre 1993 e 1996. Entre 1996 a 2004 possuiu o título de Counsel, posição de maior independência, não tendo porém atuado entre 2002 e 2004.[16][29]

Em 1992, Obama foi membro fundador da mesa diretora da organização sem fins lucrativos Public Allies, renunciando ao cargo antes de sua esposa tornar-se a primeira diretora executiva da Public Allies, Chicago, no início de 1993.[16][30] Entre 1993 e 2002, foi membro da mesa diretora da fundação filantrópica Woods Fund of Chicago, que, em 1985, foi a primeira fundação a financiar o trabalho de Obama no DCP. Participou da mesa diretora da fundação Joyce entre 1994 e 2002..[16] Entre 1995 e 2002 atuou na mesa diretora do Chicago Annenberg Challenge, tendo sido fundador e presidente.[16] Participou também da mesa diretora das seguintes organizações: Chicago Lawyers' Committee for Civil Rights Under Law, Center for Neighborhood Technology, e Lugenia Burns Hope Center.[16]

Carreira política

Carreira no Senado pelo Illinois

Fez sua carreira política em Chicago, Illinois, cidade onde trabalhou, conheceu sua esposa, constituiu família e onde durante anos foi líder comunitário e professor de Direito Constitucional numa universidade local.

Em 1996, Obama foi eleito senador por Illinois.

Em 2004, fez campanha pelo lugar que o senador anterior, Peter Fitzgerald, deixara. Nas eleições primárias para a candidatura democrata, os seus opositores foram Blair Hull, um homem de negócios, e Dan Hynes, procurador do estado de Illinois. Obama começou abaixo de Hull nas sondagens de opinião, mas isso mudaria depois de um escândalo de violência doméstica que implicava Hull. A partir daí, melhorou notavelmente a sua imagem, começando a liderar nas sondagens. Foi recebendo apoios dos líderes democráticos. Nas primárias, Obama somou mais votos que os outros seis candidatos combinados, ganhando com 52% dos sufrágios.

Obama enfrentou o candidato Jack Ryan, o vencedor da primária republicana. Durante a campanha, contudo, um escândalo sexual implicou Ryan (foi acusado de levar a sua mulher a clubes de sexo). Devido a isso, Ryan retirou-se da campanha. O partido republicano no Illinois então escolheu como candidato conservador Alan Keyes para substituir Ryan. Finalmente, Obama venceu as eleições por uma diferença considerável: 69,97% contra 27,05% de Keyes.

Eleição presidencial de 2008

Em 16 de janeiro de 2007, anunciou a criação de um comité exploratório para recolha de fundos para uma candidatura à presidência; a 10 de Fevereiro de 2007, declara-se candidato às primárias[31] embora a sua pouca experiência governativa e a grande concorrência no seu partido, por parte de Hillary Clinton, sejam grandes obstáculos. A 15 de Dezembro de 2007, recebeu o apoio do prestigiado jornal diário nacional The Boston Globe.[32]

Obama ganhou a primeira eleição primária pelo Partido Democrata, em Iowa, no dia 3 de janeiro de 2008, saindo na frente de Hillary Clinton e John Edwards. Já na segunda, Hillary Clinton bateu Obama por três pontos percentuais nas primárias do Nova Hampshire.[33]

Obama venceu em 26 de janeiro de 2008 com uma larga vantagem as primárias do partido democrata na Carolina do Sul, onde recebeu o dobro dos votos da senadora Hillary Clinton, devido ao grande apoio recebido dos negros que representaram metade dos cidadãos que foram votar.[34]

Durante os cinco primeiros meses de 2008, Obama e a sra. Clinton protagonizaram uma renhida disputa pela nomeação que ficou decidida em fins de Maio, quando o senador ultrapassou os 2118 delegados necessários para lhe garantir a nomeação (2156 de Obama contra 1923 de Hillary Clinton). A 4 de Junho, depois de vencer as primárias do partido no estado de Montana, Barak Obama assumiu-se como o candidato dos democratas para as eleições de 4 de Novembro, embora tenha ainda de aguardar pela convenção do Partido Democrata, a ter lugar em Agosto, em que será formalmente nomeado. No dia 7 de Junho Hillary Clinton desiste a sua candidatura apoiando Obama a concorrer às presidenciais.

Em 28 de agosto de 2008, Obama foi nomeado oficialmente para concorrer à Casa Branca contra o republicano John McCain.

Devido à sua história pessoal (pai negro, mãe branca e padrasto asiático) é visto por muitos como um unificador, alguém que consegue transpor a barreira racial. O próprio Obama, já brincou com isso no programa da popular apresentadora estadunidense Oprah Winfrey, quando disse que jantares de sua família "são sempre uma mini-ONU, com parentes de todas as etnias". Ainda assim, chegou a ser acusado de racismo contra indivíduos de etnia branca, por ter participado da Igreja do Pastor Jeremiah Wright,considerado racista negro. Obama negou a associação. Associações racistas e nazistas consideraram-no um extremista racial negro, de origem islâmica,[35] Daniel Pipes o considerou muçulmano, por ser filho de pai muçulmano, ainda que não praticante.[36] Apesar disso, alguns grupos supremacistas brancos chegaram a declarar-lhe apoio[37]

Recebeu o importante apoio da Família Kennedy, sendo comparado muitas vezes ao ex-presidente John Kennedy na sua capacidade de animar os eleitores e oferecer uma nova liderança.

Ainda recebeu o apoio de artistas como o cantor Will.I.Am e a líder das Pussycat Dolls, Nicole Scherzinger, que chegaram a gravar um vídeo denominado Yes We Can para a campanha do senador.[38]

Em 4 de novembro de 2008, Barack Obama foi eleito presidente dos Estados Unidos da América, derrotando John McCain. No discurso de vitória, em Chicago, fez uma frase histórica.

" Se existe alguém que ainda duvide que os Estados Unidos sejam o lugar onde todas as coisas são possíveis, que ainda questione a força de nossa democracia, a resposta está aqui esta noite"
— Barack Obama

Presidência

No pleito de 4 de novembro de 2008 Obama foi eleito o 44º presidente dos Estados Unidos da América, vencendo seu adversário John McCain, por uma diferença de 52% a 47% no total de votos.

Entre a eleição e a tomada de posse, Obama formará a equipe da nova administração. Para ela têm sido apontados vários nomes, como o de Rahm Emanuel para Chefe de Gabinete da Casa Branca.[39][40][41]

Durante seu mandato, em 2009 foi acusado de ser anti-semita por entidades extremistas israelenses ao manifestar seu apoio para a criação de um Estado para os refugiados palestinos.[42]

Nobel da Paz

Barack Obama foi premiado com o Nobel da Paz de 2009, "pelos extraordinários esforços para reforçar o papel da diplomacia internacional e a cooperação entre os povos". Houve críticas a esta atribuição. Um dos motivos é o reforço de tropas norte americanas no Afeganistão, por parte de Barack Obama.[43]

Segundo o Comitê do Nobel, em Oslo, o presidente dos Estados Unidos criou um "ambiente novo para a política internacional. Graças a seus esforços, a diplomacia multilateral recuperou sua posição central e devolveu às Nações Unidas e outras instituições internacionais seu papel protagonista". Ainda de acordo com o Comitê, "a visão de um mundo sem armas nucleares estimulou o desarmamento e as negociações para o controle de armamento. Graças à iniciativa de Obama, os Estados Unidos estão desempenhando um papel mais construtivo para fazer frente aos desafios da mudança climática que enfrenta o mundo".[44] De acordo com fontes ligadas ao Comitê, a escolha do laureado sempre visa transmitir uma mensagem política ao mundo. Assim, Obama foi escolhido pelo que representa - e não propriamente por realizações efetivas, ainda nos primeiros nove meses do seu mandato.[45]

Referências

1. ↑ Birth Certificate of Barack Obama. Department of Health, Hawaii. St. Petersburg Times (8 de agosto de 1961). Página visitada em 29 de junho de 2009.
2. ↑ "Obama saiu do anonimato para ser primeiro presidente negro dos EUA". . (página da notícia visitada em 20/01/2009)
3. ↑ "Barack Obama é eleito o primeiro presidente negro dos EUA e anuncia mudanças". . (página da notícia visitada em 20/01/2009)
4. ↑ Folha Online. "Seja Obama ou McCain, o próximo presidente dos EUA será canhoto". . (página da notícia visitada em 15/07/2009)
5. ↑ Nobelprize.org The Nobel Peace Prize 2009
6. ↑ The truth about Barack's birth certificate. my.barackobama.com. Página visitada em 2008-06-13.
7. ↑ Obama (1995), pp. 9–10. Trechos do livro podem ser encontrados em "Barack Obama: Creation of Tales", East African, November 1, 2004. Página visitada em 2008-04-13.
8. ↑ Obama (1995), pp. 125–126. Ver também: Jones, Tim. "Obama's Mom: Not Just a Girl from Kansas", Chicago Tribune, March 27, 2007. Página visitada em 2008-04-13.
9. ↑ Merida, Kevin. "The Ghost of a Father", Washington Post, December 14, 2007. Página visitada em 2008-06-24. Ver Também: Ochieng, Philip. "From Home Squared to the US Senate: How Barack Obama Was Lost and Found", East African, November 1, 2004. Página visitada em 2008-06-24. Em agosto de 2006, a esposa e as duas filhas de Obama, o filho, juntaram-se a ele em uma visita ao local de nascimento do seu pai, uma vila próxima a Kisumu, na região rural ocidental do Quênia. Gnecchi, Nico. "Obama Receives Hero's Welcome at His Family's Ancestral Village in Kenya", Voice of America, August 27, 2006. Página visitada em 2008-06-24.
10. ↑ Serafin, Peter. "Punahou Grad Stirs Up Illinois Politics", Honolulu Star-Bulletin, March 21, 2004. Página visitada em 2008-04-13. ver também: Obama (1995), Capítulos 3 e 4.
11. ↑ Ripley, Amanda. "The Story of Barack Obama's Mother", Time, April 9, 2008. Página visitada em 2008-06-24. See also: Suryakusuma, Julia. "Obama for President… of Indonesia", Jakarta Post, November 29, 2006. Página visitada em 2008-06-24.
12. ↑ Obama, McCain talk issues at pastor's forum - CNN.com. cnn.com. Página visitada em 2008-08-29.
13. ↑ Oxy Remembers "Barry" Obama '83. Occidental College (January 29, 2007). Página visitada em 2008-04-13.
14. ↑ Boss-Bicak, Shira. "Barack Obama '83", Columbia College Today. Página visitada em 2008-06-09.
15. ↑ Issenberg, Sasha. "Obama shows hints of his year in global finance: Tied markets to social aid", Boston Globe, August 6, 2008. Página visitada em 2008-04-13.
16. ↑ 16,0 16,1 16,2 16,3 16,4 16,5 16,6 Chassie, Karen (ed.). Who's Who in America, 2008. New Providence, NJ:
17. ↑ Scott, Janny. "Obama's Account of New York Years Often Differs from What Others Say", The New York Times, October 30, 2007. Página visitada em 2008-04-13. Obama (1995), pp. 133–140; Mendell (2007), pp. 62–63.
18. ↑ Secter, Bob; McCormick, John. "Portrait of a pragmatist", Chicago Tribune, 2007-03-30, p. 1. Página visitada em 2008-06-06. Lizza, Ryan. "The Agitator: Barack Obama's Unlikely Political Education" (alternate link), New Republic, 2007-03-19. Página visitada em 2008-04-13. Obama (1995), pp. 140–295; Mendell (2007), pp. 63–83.
19. ↑ Matchan, Linda. "A Law Review breakthrough" (paid archive), The Boston Globe, 1990-02-15, p. 29. Página visitada em 2008-06-06. Corr, John. "From mean streets to hallowed halls" (paid archive), The Philadelphia Inquirer, 1990-02-27, p. C01. Página visitada em 2008-06-06.
20. ↑ Obama, Barack (August–September 1988). "Why organize? Problems and promise in the inner city". Illinois Issues 14 (8–9): 40–42. reprinted in: Knoepfle, Peg (ed.). After Alinsky: community organizing in Illinois. Springfield, IL: pp. 35–40. Tayler, Letta; Herbert, Keith. "Obama forged path as Chicago community organizer", Newsday, 2008-03-02, p. A06. Página visitada em 2008-06-06.
21. ↑ Obama (1995), pp. 299–437.
22. ↑ 22,0 22,1 Levenson, Michael; Saltzman, Jonathan. "At Harvard Law, a unifying voice", The Boston Globe, 2007-01-28. Página visitada em 2008-06-15. Kantor, Jodi. "In law school, Obama found political voice", The New York Times, 2007-01-28, p. 1. Página visitada em 2008-06-15. Kodama, Marie C. "Obama left mark on HLS", The Harvard Crimson, 2007-01-19. Página visitada em 2008-06-15. Mundy, Liza. "A series of fortunate events", The Washington Post, 2007-08-12, p. W10. Página visitada em 2008-06-15. Heilemann, John (October 22, 2007). "When they were young". New York 40 (37): 32–7, 132–3. Mendell (2007), pp. 80–92.
23. ↑ 23,0 23,1 Butterfield, Fox. "First black elected to head Harvard's Law Review", The New York Times, 1990-02-06, p. A20. Página visitada em 2008-06-15. Ybarra, Michael J. "Activist in Chicago now heads Harvard Law Review" (paid archive), Chicago Tribune, 1990-02-07, p. 3. Página visitada em 2008-06-15. Matchan, Linda. "A Law Review breakthrough" (paid archive), The Boston Globe, 1990-02-15, p. 29. Página visitada em 2008-06-15. Corr, John. "From mean streets to hallowed halls" (paid archive), The Philadelphia Inquirer, 1990-02-27, p. C01. Página visitada em 2008-06-15. Drummond, Tammerlin. "Barack Obama's Law; Harvard Law Review's first black president plans a life of public service" (paid archive), Los Angeles Times, 1990-03-12, p. E1. Página visitada em 2008-06-15. Pugh, Allison J. (Associated Press). "Law Review's first black president aims to help poor" (paid archive), The Miami Herald, 1990-04-18, p. C01. Página visitada em 2008-06-15.
24. ↑ Aguilar, Louis. "Survey: Law firms slow to add minority partners" (paid archive), Chicago Tribune, 1990-07-11, p. 1 (Business). Página visitada em 2008-06-15. “Barack Obama, a summer associate at Hopkins & Sutter in Chicago”
25. ↑ 25,0 25,1 25,2 Scott, Janny. "The story of Obama, written by Obama", The New York Times, 2008-05-18, p. 1. Página visitada em 2008-06-15. Obama (1995), pp. xiii–xvii.
26. ↑ White, Jesse (ed.). Illinois Blue Book, 2000, Millennium ed.. Springfield, IL:
27. ↑ Jarrett, Vernon. "'Project Vote' brings power to the people" (paid archive), Chicago Sun-Times, 1992-08-11, p. 23. Página visitada em 2008-06-06. Reynolds, Gretchen (January 1993). "Vote of Confidence". Chicago 42 (1): 53–54. Anderson, Veronica (September 27–October 3, 1993). "40 under Forty: Barack Obama, Director, Illinois Project Vote". Crain's Chicago Business 16 (39): 43.
28. ↑ University of Chicago Law School (2008-03-27). Statement regarding Barack Obama. University of Chicago Law School. Página visitada em 2008-06-10. Miller, Joe (2008-03-28). Was Barack Obama really a constitutional law professor?. FactCheck.org. Página visitada em 2008-06-10. Holan, Angie Drobnic (2008-03-07). Obama's 20 years of experience. PolitiFact.com. Página visitada em 2008-06-10.
29. ↑ Robinson, Mike (Associated Press). "Obama got start in civil rights practice", The Boston Globe, 2007-02-10. Página visitada em 2008-06-15. Pallasch, Abdon M. "As lawyer, Obama was strong, silent type; He was 'smart, innovative, relentless,' and he mostly let other lawyers do the talking", Chicago Sun-Times, 2007-12-17, p. 4. Página visitada em 2008-06-15. "People" (paid archive), Chicago Tribune, 1993-06-27, p. 9 (Business). Página visitada em 2008-06-15. "Business appointments" (paid archive), Chicago-Sun-Times, 1993-07-05, p. 40. Página visitada em 2008-06-15. Miner, Barnhill & Galland (2008). About Us. Miner, Barnhill & Galland – Chicago, Illinois. Página visitada em 2008-06-15. Obama (1995), pp. 438–439, Mendell (2007), pp. 104–106.
30. ↑ Public Allies (2008). Fact Sheet on Public Allies' History with Senator Barack and Michelle Obama. Public Allies. Página visitada em 2008-06-06.
31. ↑ L'Express com a Reuters:Obama entre dans la course (12-2-2007).
32. ↑ Boston.com staff (15-12-2007). The Boston Globe:Globe endorses McCain, Obama.
33. ↑ Folha Online
34. ↑ Folha Online
35. ↑ terra.com
36. ↑ danielpipes.org
37. ↑ - 22 de junho de 2008 - Revista: líderes racistas dos EUA apóiam Obama
38. ↑ « Barack Obama has chosen Joe Biden to be his VP », peoplestar.co.uk, Retrieved on 2008-08-23.
39. ↑ No dia 20 de janeiro de 2009 Obama tomou posse como presidente. Em seu primeiro discurso à nação, imediatamente sinalizou a suspensão dos julgamentos e execuções nas prisões militares de Guantanamo Cuba e sobre a retirada gradual das tropas americanas do Iraque. Nas entrelinhas deixou transparecer que Cuba e Coreia do Norte serão bem vindas para negociarem a paz entre os países interessados. Clinton crony Rahm Emanuel chief of staff. Boston Herald. 5 Nov. 2008
40. ↑ Obama Building His Team. Star Tribune. 5 Nov. 2008.
41. ↑ Obama asks Rep. Emanuel to lead White House staff. Reuters. 5 Nov. 2008
42. ↑ Extremistas judeus lançam campanha contra Obama - iG, 4 de junho de 2009
43. ↑ Público.pt. Nobel da Paz para Barack Obama. Página visitada em 9-10-2009.
44. ↑ Folha Online. Barack Obama recebe o Prêmio Nobel da Paz. Página visitada em 13-10-2009.
45. ↑ Folha Online. Nobel para Obama é política. Página visitada em 13-10-2009.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Nenhum comentário:

Sites interessantes