Cândido, ou O Otimismo - Voltaire

É considerado o seu melhor "conto filosófico" e uma das melhores novelas da história da literatura.

candide-tmOrigem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Cândido, ou O Otimismo, ("Candide, ou l'Optimisme") (1759) é uma comédia romântica de autoria do filósofo iluminista Voltaire. Voltaire jamais admitiu abertamente ter escrito o controverso Cândido; o trabalho foi assinado por um pseudônimo: "Monsieur le docteur Ralph", literalmente, "Senhor Doutor Ralph".
O texto contrapõe brilhantemente ingenuidade e esperteza, desprendimento e ganância, caridade e egoísmo, delicadeza e violência, amor e ódio. Tendo como plano de fundo a sociedade do Séc. XVIII, retrata um mundo extremamente cruel e materialista.

Muitos dos personagens do romance passam pelas mais diversas torturas físicas e psíquicas. De qualquer modo, Voltaire também apresenta uma sociedade utópica, quando Cândido e seu criado Cacambo vão à cidade de Eldorado, um lugar místico na América do Sul, onde havia muito ouro e pedras preciosas, mas ninguém se importava com toda essa riqueza. Eles deixam esse belo lugar para procurar Cunegundes até que Cândido consegue encontrá-la em Constantinopla (atual Istambul), na Turquia.
Há uma segunda parte no romance, muito menos conhecida, em que Cândido deixa o jardim na Turquia. Após muitas aventuras e seu casamento com uma outra mulher, ele fica na Dinamarca, e alcança uma alta posição na corte real.

Otimismo de Cândido

Sarcástico, Voltaire leva o ingênuo protagonista Cândido a debater consigo mesmo o preceito de que estamos no "melhor dos mundos possíveis", através de uma série de aventuras que dramaticamente fazem o protagonista contestar o ensinamento ao qual tanto se apegava.
O romance satiriza as interpretações ingênuas da filosofia de Gottfried Leibniz que oferecem motivos para não "enxergar" os horrores do mundo no Séc. XVIII. Em Cândido, Leibniz é representado pelo filósofo Pangloss, o mestre do personagem principal. Apesar de enfrentar uma série de infortúnios e desventuras, Pangloss afirma veementemente que "Tout est pour le mieux dans le meilleur des mondes possibles" ("É tudo para o melhor no melhor dos mundos possíveis"). O romance encerra com Cândido finalmente contestando o otimismo exposto por Pangloss, dizendo "Il faut cultiver notre jardin" ("É necessário cultivar o nosso jardim").

Personagens
  • Cândido, o protagonista
  • Cunegundes, esposa de Cândido
  • Dr. Pangloss, mestre de Cândido
  • Cacambo, criado de Cândido
  • Martinho, companheiro de viagem de Cândido
  • Paquette, criada da família de Cunegundes
  • O Barão, irmão de Cunegundes
  • A Velha, criada de Cunegundes
  • Jacques o Anabatista, benfeitor de Cândido
  • Frei Giroflée, frade a quem Paquette servia
Curiosidades
  • Cândido, em uma passagem, faz uma referência ao fictício Papa Urbano X como pai de um personagem. De acordo com uma nota que aparece pela primeira vez na edição de 1829, Voltaire teve "extrema discrição" ao atribuir uma filha ilegítima a um Papa fictício, em vez de um nome real. O último pontífice a ostentar o nome Urbano foi o Papa Urbano VIII.
  • Na parte em que Don Fernando d'Ibaraa Figueora y Mascarenes y Lampourdos y Souza disse que desposaria Cunegundes, Cândido "não ousava dizer que era sua irmã, porque tampouco o era; embora essa mentira oficiosa estivesse outrora muito em moda entre os antigos". Essa é uma referência ao livro de Gênesis na Bíblia, onde Abraão mentiu para o Faraó do Egito, lhe dizendo que Sara era sua irmã e não sua esposa.

Nenhum comentário:

Sites interessantes